Tempo do Natal

Tempo do Natal

Pe. Joaquim Cavalcante

Teologicamente falando, o Natal é a festa do mistério da encarnação do Verbo eterno. No Natal se dá a união hipostática, ou seja, a natureza divina se une à natureza humana, numa só pessoa, a pessoa do Verbo Encarnado (Cf. Jo 1,14). É mistério de fé e, por ser mistério, transcende a compreensão humana.

Como o tempo do Advento, o Tempo do Natal se caracteriza por dois momentos: o primeiro momento é a Oitava do Natal que inicia depois do dia 25 e se estende até o dia primeiro de janeiro, Festa da Mãe de Deus. Esses dias da Oitava do Natal prolongam a solenidade natalina. O segundo momento vai de 2 de janeiro até a Festa do Batismo do Senhor, encerrando, assim, o ciclo natalino.

Durante o Tempo do Natal temos algumas festas e solenidades. Antes de tudo devemos dizer que a solenidade do Natal (25 de dezembro) é a Solenidade principal do ciclo natalino, por isso ela é celebrada com vigília e três missas. Vale dizer que na prática pastoral torna-se difícil em muitos lugares celebrar as três missas no dia de Natal, pois muitos cristãos reduziram o sentido dessa solenidade em reuniões para comer e beber.

 São duas as solenidades e duas também as festas celebradas no Tempo do Natal, a saber: 1. A Solenidade da Santa Mãe de Deus. 2. A Solenidade da Epifania. Por Epifania compreende-se manifestação. É a manifestação do eterno mistério de Deus em Jesus Salvador e revelador do rosto do Pai. O mistério da Epifania afirma a universalidade da redenção da humanidade pelo mistério da cruz. Como sabemos, há um nexo íntimo entre a Manjedoura de Belém e a Cruz do Calvário.  No Brasil, celebra-se a Epifania no domingo que cai entre os dias 2 a 8 de janeiro.

As duas festas celebradas dentro do Tempo do Natal são: 1. Festa da Sagrada Família. Esta festa é celebrada no domingo que cai entre os dias 26 e 31 de dezembro. 2. Festa do Batismo do Senhor. Com a Festa do Batismo do Senhor encerra-se o ciclo do Natal. A data de sua celebração depende da Solenidade da Epifania. Se a Epifania for celebrada até o dia 6 de janeiro, então o Batismo do Senhor se celebra no domingo seguinte. Se a Epifania for celebrada no dia 7 ou 8 de janeiro, então a Festa do Batismo do Senhor será celebrada no dia seguinte, isto é, na segunda-feira. A Festa do Batismo do Senhor marca o início da vida pública e missionária de Cristo.

Dentro ainda da Oitava do Natal, três festas do "Santoral" são celebradas, mas com Vésperas da Oitava. São elas: Santo Estêvão, diácono e protomártir, em 26 de dezembro, São João, Apóstolo e Evangelista, em 27 de dezembro, e Santos Inocentes, em 28 de dezembro.

Dessa forma, compreendemos o Tempo do Natal e assim o celebramos como Tempo impregnado do Kairos de Deus. Sim, porque o mistério da Encarnação revela e comunica a glória do eterno. O Verbo é a preexistência do Filho amado enviado ao mundo para que o mundo fosse salvo por ele. No mistério do Natal do Senhor, celebramos a encarnação do Verbo que se fez carne e assumiu nossa humanidade, para que, o gênero humano fosse divinizado. Feliz e santo Natal!

 

Padre Cavalcante – Mestre em Liturgia pelo Instituto Santo Anselmo e Doutor

Em Teologia pela Universidade Gregoriana, em Roma – atua como presbítero

Na Diocese de Itumbiara e professor na FASEM - Faculdade Serra da Mesa. 

Caixa Postal 15
Mineiros - Go, CEP: CEP: 75830-000
(64) 3661-1388

©2017 - Todos os direitos reservados ao Mosteiro São José

agencia cafe com ideias